sábado, 26 de julho de 2008

Férias Perfeitas - Ep.2

Acordei com o sol batendo forte no rosto. A luz e o calor iluminavam e aqueciam o quarto. Eu sorri, olhei para o lado da cama, ele estava dormindo, deitado de bruços. Fiquei um punhado de minutos observando seu rosto, seu corpo, admirando e amando aquela pessoa descansando ali ao meu lado.

Decidi me levantar, preparar um café da manhã especial.

Tomei um banho gostoso, fui até a cozinha, preparei suco, frutas, pão e requeijão, mel.

Levei tudo para o quarto. Me deitei ao seu lado, nua, coloquei o copo de suco entre as coxas, próximo à vulva, espalhei frutas pela barriga, besuntei os seios com mel.

Depois, com cuidado, comecei a acariciar seus cabelos, seu rosto, e quando ele abriu os olhos eu disse: "Trouxe café pra você na cama."

Ele riu. e só disse: "ai...hum..." me beijou a boca, lambeu meus seios, me beijou mais. Quando achou o suco, achou melhor tirar dali, pois não queria derramá-lo. Tirou as frutas e beijou minha barriga, meu sexo, minhas coxas, meus pés. Eu me contorcia toda de prazer. Ele pegou um morango, mordeu a pontinha, tocou meus lábios com a polpa da fruta, depois beijou mais uma vez, misturando o gosto de fruta e saliva em minha boca. Pegou então uma uva, me mostrou, colocou entre os meus seios, veio rolando a uva com os dedos, descndo, passando pelo umbigo, descendo...passou com a uva sobre meus pelos, roçou leve no clitóris e parou na entrada da vagina úmida. Eu relaxei a entrada e ele introduziu a uva em mim. eu a puxei para dentro, senti o geladinho da fruta em meu corpo. Ele então, com a boca, seguiu o mesmo caminho da uva, passando peos seios, barriga, umbigo, clitóris, parando na entrada da vagina, tocando de leve a pontinha da língua, como dissesse: "devolve". Então eu devolvi; quentinha, molhada pelo meu desejo, a uva em sua boca, que ele comeu com satisfação. Eu sentei na cama, o abracei, olhei nos seus olhos. O beijei. Deitei-o na cama e ajoelhei-me sobre ele, com as pernas abertas. Acariciei seu rosto, seus ombros, seu peito, inclinei-me e o beijei com paixão profunda. Seu penis ereto já estava todo molhado. Segurei-o e lentamente encaixei-o em mim, descendo bem devagar, para sentir cada milímetro que me preenchia. Meu coração batia acelerado. "Ter você dentro de mim é entrar no paraíso", eu disse a ele. Ele me encarou, sério, e disse balançando a cabeça negativamente: "Não, você é que é o meu paraíso." Aquilo me acelerou e eu aumentei o ritmo, gememos, apertei-o dentro de mim, prendi, acarinhei, suguei, abracei.

Ele me virou de costas na cama, colocou minhas pernas em seus ombros e introduziu tudo em mim. Vi estrelas. "Ai, que delícia, amor! Faz mais!" E ele fez, e fez, e fez, mais e mais...hummm....

Ele olhou para baixo e viu seu penis entrando e saindo de mim, e teve um espasmo de prazer. Pegou um seio, sugou o mamilo, depois o outro. Estávamos entrando em transe, o nosso ritmo era perfeito, parecíamos um só. Até que eu não pude mais me controlar e gozei, e molhei tudo. ele sentiu os espasmos percorrendo todo o meu corpo. Aquilo o excitou tanto que ele também não resistiu e me inundou com seu leite. Eu sentia as pulsações que jorravam os jatos mornos em mim e aquilo me dava a sensação de sermos as únicas criaturas no universo. Ficamos exaustos, mas felizes. Deitados, lado a lado num abraço, ficamos olhando o sol subir e aquecer ainda mais a temperatura.

Nenhum comentário: