quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Férias Perfeitas - Ep. 3

Aquele sol quente convidava a um passeio à beira mar. O dia estava radiante (talvez fosse efeito da felicidade), céu azul, brisa fresca...
Fomos caminhando pela areia descalços, abraçados olhando o mar claro sereno naquele dia de verão. Um barquinho apontava no horizonte. Paramos e ficamos olhando juntos para o mesmo lugar. Ele me abraçava e eu podia sentir seu corpo colado no meu. Sentia seu ombro que me acomodava a cabeça e seu braço que enlaçava a minha cintura. Seu cheiro se misturava ao da maresia, sua pele estava úmida de suor.
Quando percebi, eu estava olhando seu rosto de perfil, distraída decorando a sua geografia. Eu não me cansava de olhar aqueles olhos, aquela boca...Coração batia forte.
Ele percebeu que eu o encarava, olhou pra mim e sorriu, perguntando: "Que foi?"
Minha resposta foi tocar-lhe a nuca e trazer delicadamente sua boca até a minha, me deliciando com o sabor único do seu beijo. O tempo parou.
Com os olhos fechados, eu explorava seu corpo por baixo da camiseta, sentia sua pele, seus pêlos, a textura macia e úmida daquele corpo que me atraía como um ímã. Ele fazia o mesmo, como um espelho. Invadi o short, abusei. Senti que ele estava tão excitado quanto eu. Colei meu corpo ao dele e sentindo a magnitude do seu desejo, tive uma idéia.
Tirei a camisa que cobria meu biquíni. Deixei no chão junto com a sacola e convidei-o para um mergulho. Tivemos que esperar um pouquinho até ele estar em condições de tirar o short. Sentamos na areia e encostei a cabeça em seu braço, e ganhei um gostoso cafuné.
Então ele tirou a camisa, levantou-se e tirou o short. Apostamos corrida até o mar e caímos na água morna. Quando voltamos à superfície, estávamos perto de um píer, mas não havia embarcação nenhuma por ali. Nadamos até lá e, protegidos dos olhares indiscretos, começamos a nos beijar com paixão. Nossos corpos se entrelaçavam, flutuando na água. Eu o envolvia com as pernas, tocando meu sexo no seu. Beijando e beijando mais. Ele afastou o sutiã do biquíni e tocou meu mamilo arrepiado. Era tanta excitação que não cabia em mim. Olhando nos olhos, afastamos nossas últimas peças e nos amamos com as bênçãos de Iemanjá. Nossos corpos flutuavam e faziam movimentos longos. Era como se estivéssemos fazendo amor na lua.
Ele dizia: "Quero ver você gozar..." Mas eu não queria. O prazer que ele me proporcionava naquele instante era tão intenso que eu queria que durasse para sempre.
Nos amamos por um tempo que não sei quanto foi, até ficarmos cansados e com cãimbras...
então voltamos para a areia, pegamos nossas coisas e voltamos para casa, com um sorrisão nos lábios e o coração transbordando de alegria.

Nenhum comentário: