terça-feira, 16 de setembro de 2008

Férias Perfeitas - Ep. 5

Minhas férias perfeitas foram coroadas por uma decisão: Não volto.
Todos os dias acordar e ver meu amor dormindo é o paraíso, eu não quero mais deixar isso aqui. Por nada.
Ainda sinto no ar o clima da última noite. Nossa roupa jogada no chão, posso ver nós dois chegando em casa, atracados num beijo, arrancando cada peça e atirando para longe.
Ele me erguia nos braços, minhas pernas entrelaçadas em sua cintura, me beijando com paixão. Não contemos o desejo até chegar ao quarto. Ali mesmo na sala, ainda usando as últimas peças que nos vestiam, ele me encostou contra a parede, afastando com habilidade a pequena calcinha preta e me penetrando com facilidade, pois ali eu já estava tão excitada que meu corpo inteiro se abria para receber o seu amor.
Permanecemos alguns minutos unidos, eu flutuava no ar, segura por seus braços fortes, sentindo o prazer arrebatador de ter seu corpo dentro do meu.
Eu ia chegando no auge do prazer, mas ele queria mais. Me levou pelo corredor, me pôs no chão junto à porta do quarto. Tomou uma de minhas pernas e pediu que eu a apoiasse na parede. Obediente, abri a perna o mais que podia. Foi quando ele se pôs de joelhos e, como numa reverência, aproximou os lábios do meu sexo molhado e beijou demoradamente. Senti um arrepio de prazer me percorrer todo o corpo, eu estremecia a cada movimento da língua passeando pelo clitóris, lábois e vagina, que pulsavam de prazer. Sem conseguir resistir mais, gozei deliciosamente em sua boca, e amei assisti-lo sorvendo todo o líquido, produto do meu orgasmo.
Louca de amor, abracei-o e o trouxe até a cama, onde ele sentou, e foi a minha vez de sugá-lo com paixão, até que dele explodisse um mundo de leite, todo em minha boca. Bebi cada gota como se bebesse o elixir da vida. Foi lindo ver seu corpo prostrado, em relaxamento profundo.
Um riso suave iluminava seu rosto lindo. Fiquei admirando aquela imagem por um longo tempo, mas depois me dediquei a acarciar seus cabelos e seu rosto, bejando com ternura. Ele me olhava sem dizer nada. Sabíamos que aquele sonho teria prazo de validade. Mas eu não queria pensar naquilo de jeito nenhum. Só queria viver aqueles momentos mágicos ao lado do homem que me acendeu a chama que dormia no meu íntimo mais secreto.
Peguei água para nós dois, estávamos secos de sede. Enquanto bebíamos a água gelada, eu molhava a boca e beijava sua nuca e suas costas. Ele ficou arrepiado. Depois foi a vez dos mamilos, da barriga, umbigo, e finalmente alcancei o penis já se reanimando para uma nova aventura. Com lábios gelados eu envolvia a cabecinha e chupava com delicadeza.
Bebi mais água e passei a língua gelada em toda a sua extensão, e senti uma contração súbita que o deixou rígido como pedra. Olhei em seus olhos, ele sorria com carinha de safado, mordendo o lábio. Aquilo me deu mais vontade e eu pulei para cima dele dando-lhe um beijo molhado na boca, e ficando automaticamente lambuzada...
Fiquei esfregando a vulva nele até senti-lo besuntado, então encaminhei-o até a abertura traseira e, delicadamente comecei a encaixá-lo dentro de mim.
Ele vibrou, tentou acelerar a tarefa, mas eu o contive e fui levando-o devagar para dentro do  meu corpo. Até que ele entrou totalmente e me abraçou, me segurando firme pra eu não escapar.
Meu corpo inteiro se arrepiou ao sentir aquele homem unido a mim, ansioso por explodir seu gozo no meu corpo. Comecei a rebolar e acariciar seu corpo, e ele me beijava e acariciava meus cabelos e com outra mão me prendia pela cintura, enquanto ia acelerando seu ritmo.
Ele gemia, eu gemia, éramos os dois loucos de prazer. Como num "crescendo", explodimos juntos num orgasmo sem precedentes. Não foi fácil parar. Não foi nada fácil recuperar a energia para nos movermos.
E quando abri novamente os olhos, lá estavam os rastros do nosso amor e eu rolando na cama abraçada ao travesseiro.

Nenhum comentário: