domingo, 12 de outubro de 2008

Férias Perfeitas - Ep. 6

Amar é a melhor coisa do mundo. Depois disso vem...chocolate!
Melhor ainda: amar com chocolate. Foi isso que nós fizemos. Foi assim:
Vi na internet uma cascata que jorrava chocolate derretido. chocólatra assumida, me apaixonei de cara. Fui lá, comprei.
Levei a novidade para meu amor, claro, com algumas barras de chocolate pra fazer a cascata funcionar como deve... Ainda: uvas, bananas, morangos e chantily.
Ele estranhou a engenhoca que veio desmontada na caixinha, mas logo montei tudinho e coloquei a coisa pra funcionar. Entre morangos, uvas e beijos, molhei o dedo no chocolate e "pintei" seu nariz. E logo em seguida, chupei pra limpar tudinho, descendo os lábios para a boca e beijando como se a saudade estivesse me matando. Ele, sem pensar, me agarrou pela cintura e me deitou na mesa, entre frutas e suspendeu meu vestido, que eu terminei de tirar, ficando de calcinha e sutiã, servida para ele à mesa...
Ele terminou de me despir, em seguida pegou um morango, mergulhou no chocolate, e deixou escorrer sobre os meus mamilos. Um arrepio subiu pelo meu corpo quando senti a calda morna escorrer pelos seios e logo a língua molhada lambendo tudo.
Ainda usando o morango ele espalhou chocolate pela barriga. Ele me lambuzava e me lambia. Então, quando eu já estava fervendo, o danadinho pegou o spray de chantily e espirrou o creme gelado em meu umbigo. Eu ergui o quadril com o choque térmico.
Quando relaxei, ele havia pego uma banana, mergulhado no chocolate, e segurava, bem à frente da sua pelve. Pegou a banana coberta com chocolate e começou a alisar minha vulva totalmente encharcada. Em seguida ele mordia um pedaço, e voltava a mergulhar no chocolate, e depois em mim, e depois na boca. Eu já estava indo ao delírio assistindo à cena. Então ele pegou uma outra banana e me penetrou com ela. Eu dei um gemido alto e contorci o corpo, abri bem as pernas pedindo a ele que entrasse em mim com seu próprio corpo. Ele então, sem retirar a banana, besuntou o penis na minha lubrificação e penetrou de uma só vez na entrada de trás.
Eu nunca senti nada parecido. Foi surreal o prazer que me dominou naquele instante. Enquanto ele estocava meu cuzinho, enfiava  e tirava a banana da boceta. Não demorou nada e eu tive o orgasmo mais alucinante de toda a minha existência. Fiquei prostada sobre a mesa, suando ofegante, ele e a banana ainda dentro de mim (essa toda esmagada pelas minhas contrações).
Abri os olhos e o vi me observando com ternura, me acariciando os joelhos e as coxas.
Bastou um comando - duas palavras mágicas - "quero mais". Ele retomou o vaivém, com os dedos manipulando meu clitóris, só dizendo pra mim: "Goza de novo, safada..." Amor, vc me xinga, eu gamo... Nossa respiração ficou mais e mais ofegante e juntos explodimos de prazer, gemendo alto, gritando para o mundo ouvir a nossa felicidade.
A banana, essa ficou imprestável. Nós...bom, nós só precisávamos de um banho, pra começar tudo de novo.

Nenhum comentário: