quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Férias Perfeitas - Episódio final

Como diz o clichê: "Tudo que é bom dura pouco". E como um sonho bom, minhas férias também chegaram ao fim. Acordei de manhã e fiquei sentada na cama observando o sol entrar pelas frestas da janela, pensando na volta para a dura vida real: trabalho, família e tudo mais. Ali do lado meu amor dormia, ainda cansado na nossa última noite.
Não sei quanto tempo fiquei ali parada, pensando nisso. O transe foi quebrado pelo barulhinho do meu amor se espreguiçando e me dizendo o mais doce "Bom dia". Ele passou o braço pela minha cintura e me puxou para si. Eu me deixei levar e deitei a cabeça em seu peito, olhei em seus olhos e sorri. Ele percebeu o que se passava no meu coração. Acarinhou meus cabelos e disse: Em vez de sofrer por causa do que ainda vai acontecer, porque a gente não aproveita o que está acontecendo agora? Ainda estamos aqui juntos, não estamos? Toda sua ternura me encheu de alegria. Me virei de frente para ele e beijei seus lábios, seu rosto...e quanto mais beijava, mais vontade de beijar eu tinha. Ele me envolveu em seus braços e se colocou sob o meu corpo. Ficamos ali, beijando, pele com pele, os pelos se tocando, as mãos brincando de explorar os corpos, as línguas de explorar as bocas...logo nossos sexos deram sinal de desejo. Paramos, nos encaramos em silêncio. Eu me pus de joelhos na cama, com o quadril ainda em cima dele, e ele se sentou e cruzou as pernas sob mim. Eu encaixei nossos corpos e deslizei suavemente até que ele me penetrasse. A cada centímetro seu que avançava dentro de mim, mais aumentava o meu prazer. Ficamos unidos por alguns segundos, nos acariciando, pompoando, até que não me contive e comecei a mexer os quadris. Uma onda de prazer me atingiu. Olhei seus olhos, que quando abriam, brilhavam, e logo fechavam novamente, absorvidos nas sensações que lhe percorriam o corpo.
Ele gemia, mordia os lábios, olhava para mim. Eu acelerei. E os leves movimentos cresceram se transformando numa vigorosa cavalgada. Nossos gemidos se confundiam, nosso suor se misturava, unindo nosos corpos numa liga perfeita.
E quando o nosso prazer expldiu, sentimos que o mundo era só nosso. Tempo e espaço eram nossos, e de nada adiantava a vida tentar mudar. Mesmo afastados pelo espaço, estávamos ligados pelo coração.
No momento da partida apenas um forte abraço e uma promessa sussurrada: "Você vai estar sempre comigo."

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Férias Perfeitas - Ep. 9 - Happy Birthday

Era manhã do dia 17/2 e eu entrava no quarto para acordar meu amor para dar bom dia e parabéns. 
Eu vestia aquela camisola preta e nada por baixo. Vi meu querido dormindo embolado no cobertor e nas almofadinhas, com aquele rostinho lindo coberto até a metade. 
Eu cheguei mais perto, vi que ele dormia profundamente. Então, bem devagarinho, tirei o cobertor e a almofada que ele abraçava. E da maneira mais silenciosa que eu pude, me aproximei do seu rosto e, de costas, passei uma das pernas sobre seu corpo, ficando com as pernas abertas bem em cima do seu rosto, sem tocar no seu corpo.
Me inclinei e consegui baixar sua cuequinha de seda, e comecei a lamber sua virilha e seu saquinho, até ele "acordar".
Daí meu amor abriu os olhos e viu minha boceta toda melada bem na sua cara, pedindo pra ser chupada. Ele mais que depressa agarrou minha bunda com aquela pegada só dele que me deixa toda mole, e enfiou a boca como se minha vulva fosse a última laranja do deserto. Eu gemi "Ai, tesão!" 
Então, coloquei seu pau todo na boca e chupei num vaivem frenético, enquanto ele ficava me fodendo, ora com a língua, ora com os dedos, até que numa onda de tesão ele disse: "Isso, gostosa, chupa, bebe o meu leite agora". 
Eu estremeci toda e gozei na sua cara enquanto ele encheu minha boca de esperma, que eu engoli todinho, até a última gota. 
Fiquei ali ofegante, completamente suada, com a cabeça deitada no seu quadril e a bunda empinada na sua direção por uns segundos. Quando a minha respiração começou a normalizar, afastei os fios de cabelo que tinham grudado no meu rosto, sentei do seu lado na cama, fiz um carinho no seu rosto e dei um selinho na boca. Depois disse: "Bom dia, meu amor. Feliz aniversário". Levantei e saí.